quarta-feira, 27 de abril de 2011

1.ª Aula de Tecnologia.

Devido ao facto de este período ser mais curto que os outros 2, fomos informados que teremos apenas 3 aulas de tecnologia para dar o módulo respectivo ao design de produto.

Os professores que nos vão acompanhar, neste módulo, são os professores Pedro Marques e Carlos Martins. Após uma breve apresentação de ambos fomos informados da principal tarefa destas 3 aulas e que tal consiste na criação de um cubo utilizando outros sólidos e fita-cola ou elásticos para compor a peça numa fase final, mas que de momento nos dedicaríamos ao desenho de um cubo 12 x 12cm em perspectiva cavaleira.

·         Perspectiva Cavaleira – o eixo X tem 0° de inclinação, o eixo Y tem 45° de inclinação e o eixo Z tem 90° de inclinação, ou seja, o comprimento apresentado no eixo Y será metade do evidenciado no objecto real, ao paço que os comprimentos dos eixos X e Z se mantêm iguais ao real.

·         Perspectiva Isométrica - os eixos X e Y têm 30° de inclinação cada e o eixo Z tem 90° de inclinação, ou seja, não se dá uma redução ou ampliação de nenhum dos comprimentos.

·         Perspectiva Bimétrica – o eixo X tem 7° de inclinação, o eixo Y tem 42° de inclinação e o eixo Z tem 90° de inclinação, ou seja, o comprimento apresentado no eixo Y será metade do evidenciado no objecto real, ao paço que os comprimentos dos eixos X e Z se mantêm iguais ao real.

Após isto falamos da importância do design de produto e em que é que este consiste, chegado a conclusão de que esta disciplina tem como propósito a criação de objectos que possam ser serializados.
Foram-nos dadas as bases das matérias que teríamos de utilizar nestas 3 aulas, sendo elas:

·         Projecções Ortogonais, o método europeu e o método americano, sendo o que iremos aprender se trata do europeu;

·         Perspectiva;

·         Maquetização;

Seguidamente foram dadas como complemento as escalas, sendo que se podem tratar de ampliações, reduções ou manter as dimensões apresentadas em folha.

·         Ampliação – 1: X (qualquer número superior a 1)

·         Redução – X (qualquer número superior a 1): 1

·         Manter as dimensões – 1: 1

Em seguida foi lançado o desafio da aula que consistia no desenhar de um cubo 12 x 12cm, em perspectiva cavaleira.

Após esta tarefa estar completa teríamos de traçar nas faces do cubo a malha, que consiste em unir as mediatrizes de todas as arestas, e os vértices de cada face do cubo.

O terceiro passo a ser realizado em aula foi unirmos os pontos médios de cada face internamente. Cada um destes pontos foi achado anteriormente através do cruzamento de cada linha que unia as mediatrizes e os vértices. Esta união foi efectuada a uma cor diferente da usada nos passos anteriores.

O quarto passo consistia em traçarmos as diagonais espaciais, ou internas do cubo, que se encontram ao unirmos dois vértices opostos diagonalmente. Tal como no 3º passo, este traço foi efectuado numa cor distinta das anteriores.

Os professores, após grande maioria da turma já ter efectuado a tarefa proposta ter terminado e com o final da aula próximo, pediram a nós que em casa fizéssemos numa folha A3 esquiça um levantamento do cubo e de todas as suas linhas para depois desenharmos dentro deste pelo menos 4 sólidos geométricos, cada qual com a sua cor específica e para planificarmos o cubo, utilizando a projecção ortogonal, identificando em cada uma das faces do cubo as faces dos sólidos escolhidos para o construir.

Eu tive de fazer dois cubos pois, após ter terminado o 1.º, apercebi-me que embora as medidas estivessem correctas, tinha-me enganado no ângulo de inclinação do eixo Y, apresentando-o com 30° em vez dos 45° pretendidos.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Trabalho Final Fotografia- Módulo 4

Foto 1 -> Falsa Felicidade, Máscara




Foto 2 -> Insanidade, Loucura



Foto 3- Suicídio da consciência, Morte

Projecto Final- Módulo 3

Poesia Visual -> Pastiche do poema "Ternura" de David Morão-Ferreira



Capa da Publicação -> Titulo: A Realidade do Ser
Frase: a REALIDADE é controlada pelo CAOS

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Raids Fotográficos- Módulo 4





Refrênciais- Módulo 3

Esta escadaria ajuda-me a transmitir o sentimento de queda.











Esta espiral mostra o caos que rodopiava na minha cabeça causado pela confusão e pelo meu subconsciente.









O por do sol mostra uma realidade ilusória devido a sua perfeição, confundindo mais a minha mente confusa e perdida.









Na imagem da bola pergunto apenas isto : - Qual é o objecto e qual e a imagem?










Este velhote ao pé da porta transmitiu me uma sensação de solidão inexplicável...

Desafio- Módulo 3

Este desafio de Design de Comunicação consiste na criação de uma publicação, onde terá de constar:

Capa -> com frase/título/autor etc, e uma imagem de uma fotografia/desenho/pintura.
Conteúdo -> Paginação

E esta foi a questão que nos colocaram após a leitura do excerto d' " A Metamorfose"

'' Vais agora caminhar pelo mundo...
Por onde andas e o que encontras? ''


Conceito:
O stress apoderou-se de mim. Não conseguia destingir o real da ilusão... No calor da confusão soquei a parede uma e outra vez, ate que o meu sangue cor rubi, de cheiro férreo me escorreu mão abaixo, empapando as tábuas do chão e no entanto a dor esperada não vinha.
Fechei os olhos e aporta do quarto abriu-se. Abri os olhos e esta permanecia fechada. Voltei a fecha-los e lá estava ela aberta. Atravessei a e deparei-me com outra que brilhava. Abri os olhos e a minha frente só existia uma parede de betão por isso voltei a fecha-los e empurrei a porta. No momento em que olhei para o interior senti me desequilibrado, em queda, puxado por uma força muito superior à minha... Por instinto agarrei-me a ombreira da porta. A fonte do meu caos encontrava-se no centro da sala, ela, de cabelos castanhos claro e olhos meio fechados cor amendoim, com a pele pálida e sorriso ambíguo. Sugava-me como um buraco negro suga a luz e no momento em que soltei a ombreira, abri os olhos e ela tinha desaparecido, não passando de uma sombra inofensiva.
" O que e a realidade?" perguntei-me enquanto me encolhia na posição fetal. Não gostava deste mundo onde me encontrava. "Onde estou?" perguntei me novamente. " Estás num mundo que não existe. Aqui eu reino soberano e a tua realidade não passa de dor e impotência perante a minha vontade." respondeu-me uma voz profunda. E assim fiquei, aninhado em mim mesmo, preso num mundo onde o meu subconsciente me tinha aprisionado.

Projectos Finais- Módulo 2

Cerâmica
video


video